ENCONTRO | Pelo Canal RESIDE no YouTube

Adaptações e Modelos de Festivais de Artes Cênicas

Dia 27/03/21 (sábado)
Horário: das 17h às 19h

Participantes:

Antonio Altamirano – Diretor artístico do Festival Cielos del Infinito (Chile);
Gonçalo Amorim - Diretor Artístico do FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica (Portugal)
Elizabeth Doud - Curadora, produtora e performer ( Estados Unidos)

Mediação: Felipe Assis – Diretor Artístico do FIAC-Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia

O setor de festivais, como toda a indústria das artes vivas, tem sido particularmente afetado com a pandemia. Como as apresentações artísticas, os festivais ao redor do mundo tiveram suas edições canceladas em 2020. No entanto, muitos já voltaram a acontecer com distintos formatos. Como os festivais responderam e se adaptaram à situação real? Como um setor pode se reinventar no meio de uma pandemia? Qual é o futuro da programação inovadora para festivais internacionais em 2021? O formato híbrido seguirá existindo? Estas são algumas das perguntas que tentaremos responder junto com produtores/curadores dos Estados Unidos, Portugal e Chile.


GONÇALO AMORIM/Portugal

Gonçalo é Diretor Artístico do Teatro Experimental do Porto, desde 2012 e do FITEI - Festival Internacional Teatro da Expressão Ibérica, desde setembro de 2014. Cursou Antropologia na Universidade Nova de Lisboa e é licenciado pela ESTC (Formação de Actores e Encenadores). É colaborador e ator de Teatro o Bando desde 1999 e foi membro do coletivo Primeiros Sintomas.

Em 2007 recebeu o Prémio da Crítica (APCT) como realizador do espectáculo Foder e ir às Compras, de Mark Ravenhill; Em 2012 recebeu uma Menção Especial da APCT pelo seu trabalho como encenador em 2011. Desde 2010 colabora regularmente com o TEP, onde desenvolve o seu trabalho como criador.


ANTONIO ALTAMIRANO/Chile

Ator e diretor de teatro e ator de cinema. Ator de teatro em diversos grupos fazendo turnês nacionais e internacionais. Cofundador do grupo do teatro La Mala Clase (Santiago, 2009). Em 2008 criou o Festival de Artes Cielos del Infinito, o festival de artes mais austral do mundo, que se realiza simultaneamente pelo 11 comunidades da Patagonia.

Considerado um dos 100 jovens líderes pela revista El Mercurio em 2010. Prêmio Ação Jovem 2011 da Fundação Internacional da Juventude. Representante do Chile no “Fórum Mundial de Jovens Líderes da Cultura” (Salzburg, 2012) e no 6ª Encontro Mundial IFFACA de Arte e Cultura em 2014. Desde 2013 dirige o grupo Teatro Amplio. Membro do “Amulepe Taiñ Kejuwvn”, grupo interdisciplinar de profissionais que apoia a comunidade Mapuche em Jagepvllv no Lago Budi.


ELIZABETH DOUD/Estados Unidos

Curadora da Performance no Museu de Arte Ringling em Sarasota, Flórida. É profissional de artes, pesquisadora e artista de teatro multidisciplinar. Tem mais de 20 anos de experiência como organizadora, apresentadora e educadora em artes, com ênfase em intercâmbio cultural internacional e artes climáticas.

Trabalhou extensivamente em artes cênicas nos EUA, América Latina e Caribe e criou o Climakaze Miami com a FUNDarte em 2015. De 2005 a 2018, liderou o Programa Performing Américas da Rede Nacional de Performance e foi diretora artística da Série Cultura del Lobo no Miami Dade College de 2009 a 2011. Tem mestrado em Escrita Criativa pela Universidade de Miami e doutorado em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia, Brasil.


FELIPE ASSIS/Brasil

É artista da cena, pesquisador e curador. Mestre em Artes Cênicas pelo PPGAC – UFBA (2015), colabora com curadorias independentes: Programa Rumos Itaú Cultural (2017-2018), Edital Oi Futuro (2017 e 2018), MITbr curadoria vinculada à Mostra Internacional de São Paulo (2018 e 2019), MEXE (Portugal, 2019), FNT Guaramiranga (2017 e 2018). É co-criador do Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia (FIAC Bahia), no qual atua como coordenador geral e curador desde 2008.

vAtravés da 7Oito Projetos & Produções realiza festivais (Ponto Fiac e Fiac Bahia desde 2013); coordena projetos de “Mediação Cultural” (Braskem 2014 e SESC 2018 e 2019); dirige, produz e distribui espetáculos de teatro e dança, (Feitocal 2015 e Looping: Bahia Overdub 2015 – 2020); realiza consultoria para Festivais e ministra cursos de curadoria em artes cênicas.